sábado, junho 23, 2007

Eu-lírico (4)






Theodor Wiesengrud-Adorno (1903-1969) publicou Lírica e sociedade, uma interessante contribuição da sociologia para a literatura.

Em sala de aula, por causa de péssimos professores de Literatura, a poesia não se relaciona à política, a um eu-lírico que não surge como linguagem que se opõe à cultura de massa.

"A sensibilidade do eu-lírico faz questão de que continue sendo assim, de que a expressão lírica, desvencilhada do peso da objetividade, conjure a imagem de uma vida que seja livre da coerção da prática dominante, da utilidade, da pressão da autoconservação obtusa."



Um comentário:

crisblog disse...

Você conhece Gaston Bachelard? É um pensador que busca a convergência necessária entre ciência e poesia.

Ele fala de razão e sonhos - dia e noite.

Você não sai para passear?

Visite-me. Você vai vê-lo(blog) e ver-me(ela/eu).

Está certo? Então...vá vê-la(me)!

rsrsrs

Beijos.