sábado, setembro 01, 2007

Festa Iauá 2

videoFilmagem de Romerito Aquino

Festa Iauá 1

Foto de
Romerito Aquino

No íntimo da Floresta Amazônica.

Resposta a Altino Machado

Foto de Romerito Aquino

Altino escreveu:

A imprensa acreana continua um velho latifúndio de ignorância quando se refere aos índios - desconhece até a grafia correta das tribos. E agora surgem até mirações prêt-à-porter. Veja as duas notinhas intituladas "Iauanuauá" (sic), na coluna Bom Dia, d'A Tribuna de hoje
.

Altino, aprecio certos procedimentos teus, mas, quando o assunto é Língua Portuguesa, você não tem condições de discutir comigo, porque compreender o meu idioma é dedicação de uma vida. Não aprendi a escrever pelo hábito, mas por meio de estudo. O que você tem de CDs em casa, eu tenho de livro, muito bem lidos.

Você sabe muito bem que os povos indígenas não têm grafia, porque, claro, vivo, tim, pertencem à tradição oral. Ora, a grafia "Yawanwawá" surgiu da antropologia, ou seja, foi essa ciência que definiu como os repórteres devem escrever, como você deve escrever, Altino, porque, como teu jornalismo ignora certos aspectos da língua portuguesa, tua escrita reproduz o que outra ciência definiu como verdadeiro. A tua escrita jornalística, portanto, foi alienada por outro saber, o da antropologia.

A questão é esta: você escreve conforme a antropologia ou conforme bons manuais de redação do jornalismo?

Caso seja conforme os bons manuais de redação do jornalismo, visto que você não é antropólogo, abra Manual de Redação e Estilo, de Eduardo Martins, na página 145. Copio para ti, porque acho que você só abre livros de antropologia.

Página 145

Índios 1- Os nomes das tribos indígenas terão singular e plural, e serão adaptados ao português e escritos com inicial minúscula: os ianomâmis (e não os Yanomami), os caingangues (e não os Kaingang), os uaimiris (e não os Waimiri), os guaranis (e não os Guarany), os calapalos (e não os Kalapalo), os tupis, os bororos, os xavantes, os parecis, etc. 2 - Como adjetivo, terão apenas plural, mas não feminino: a índia calapalo, as nações coroados, os índios aimorés, etc.

Será que eu preciso dizer aos teus olhos quem é Eduardo Martins? O autor é reconhecido por Lygia Fagundes Telles e por Rachel de Queiroz. E garanto-lhe: escrevem bem melhor do que você e eu.

Por falar em teu texto, reconheço que você escreve bem, mas, ainda sim, comete muitos erros gramaticais, por exemplo, quando usa vírgula. Altino, você aprendeu a escrever por causa do hábito da redação de jornal e não pelo hábito da reflexão. Você repete o que outros escrevem, por exemplo, "Yawanawá".

Você escreve povos Yawanawá. Onde está o substantivo? O adjetivo concorda com o substantivo? Onde está o adjetivo pátrio? Se você não responde correto a essas perguntas, Altino, você está reinventando a língua portuguesa por meio da ignorância.

Hoje, um encarte da TRIBUNA foi de acordo com o autor do texto, meu colega Romerito Aquino. Ele pensa que deve ser povos Yawanawá. Não quis altercar com ele e deixei como Romerito escreveu. No caso dele, até compreendo, ele tem um irmão antropólogo, mas você, Altino, não tem. Sem irmão antropólogo, sugiro que consulte os manuais de tua profissão.