sexta-feira, dezembro 21, 2007

Até 25 de fevereiro...

e, até lá, farei atualizações esporádicas.

Bom Natal!

Boas Festas!

Que a Justiça Social

prevaleça!

A Beleza do Povo

Antes de viajar, não poderia deixar de paralisar esse momento, o de uma pessoa oposta às colunas sociais e a programas que exibem a ostentação dos ricos.

Trata-se de um outro Brasil, nação que NÃO consome boas roupas, que não tem condições de malhar o corpo em academias. Antes, nos malham com a miséria.

Ainda somos muito pobres, mas, ainda sim, permanecemos erguidos no terminal urbano da capital acreana.

Vergonha do que somos? Mas o que somos?

Somos?!

sábado, dezembro 15, 2007

Férias 5



Beijar pais tão idosos. Rever primos. Abraçar tios. Conversar com velhos amigos. Dizer ao irmaõ que o amo.

A partir de hoje, não atualizarei este blog com freqüência. Com freqüência mesmo, só depois de 25 de fevereiro.

Ao chegar em Maricá, primeiro, beijar meus pais e meu amado irmão. Depois, descansar alguns dias, resolver problemas familiares, ir ao teatro, ao cinema, visitar parentes.

E, claro, uns três livros para eu ler nas férias.

Um abraço fraterno no destino de meus semelhantes e, aos teus olhos, oferto esta bela poesia de Fernando Pessoa .

Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa.

Põe quanto és
No mínimo que fazes.

Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive

Férias 4


Ponta de Maricá e Saquarema, pouco mais de 20 km.

Região dos Lagos, belos lugares.

Férias 3

Ponta de Maricá, primeiro município da Região dos Lagos,

50 minutos de Saquarema.

Lindo!

Férias 2



Uma das melhores praias do Rio de Janeiro, Piratininga, em Niterói.

Férias 1



Em Niterói, contemplamos a beleza do Rio de Janeiro. Na foto, a fortaleza de Santa Cruz, na entrada da Baía da Guanabara.

Antes de chegar, um restaurante que serve só frutos do mar.

Minha turma (2)


Só desejo que vocês sejam vitoriosos na vida.

sexta-feira, dezembro 14, 2007

Meus alunos (1)

É possível haver igreja sem ordem? É viável uma secretaria de educação sem ordem? O que seria do Judiciário se não houvesse ordem?

Ergue-se uma família na desordem?

Neste ano, por causa de uma direção sem direção, a escola não manteve a sua devida ordem. A maioria dos alunos, no entanto, encarou o desafio de freqüentar minhas aulas.

Se fui exigente, acreditem, a vida será muito mais.

Um abraço fraterno em seus destinos, turma D, no caso, uma minoria na foto.

quinta-feira, dezembro 13, 2007

Redação na escola HMM

Em 2008, a escola Heloísa Mourão Marques começará a ser outra. Conversando com a futura gestora, professora Osmarina, ficarei responsável pela redação do 3o ano.

Minha meta: elevar o índice da escola no Enem. Além disso, trabalhar muito para que alunos consigam ótimas notas na redação da Universidade Federal do Acre.

Toda aula de gramática gravitará em torno da produção textual. Nas redações, os alunos ignoram o uso correto da vírgula. Trata-se de uma realidade. Dessa forma, o professor de gramática, com a área de Escrita e de Leitura, criará exercícios relacionados à vírgula.

Só mudaremos de conteúdo quando uma porcentagem de alunos - a ser definida - responder corretamente aos exercícios.

Outra questão: leitura. Definiremos quais conteúdos serão lidos, sendo que as marcações textuais surgirão conforme os problemas redacionais do corpo discente. Uma dessas marcações: verbos.

As aulas de redação serão iniciadas com leitura. Os alunos usarão um livro de redação.

As reuniões da área deverão ser sistemáticas para que o corpo docente reflita de forma madura sobre sua prática na escola.

Como é saboroso transformar a vida de nosso semelhante para melhor, mas, para tanto, três palavras são vitais: Ordem, Disciplina e Paixão.

O gabarito da Copeve

A Copeve, responsável pelas provas da Universidade Federal do Acre, tem uma capacidade incrível de evocar o sobrenatural. Ontem, ela publicou o gabarito do vestibular.

Até aí, tudo bem. O problema é que os vestibulando precisarão consultar os búzios para saber que questões eles marcaram, porque a Copeve não permitiu que os alunos levassem as provas para casa.

Você se lembra da questão de...

quarta-feira, dezembro 12, 2007

Admirável Rato Novo


Cientistas da Universidade de Tóquio criaram um tipo de rato geneticamnete modificado que não tem medo de gato.

Os pesquisadores retiraram do cérebro do animal receptores que permitem que ele sinta o cheiro do predador.

Agora, ao chegar perto do felino, o rato não corre nem se finge de morto. Ao contrário, ele começa a cheirar o "inimigo" e ameaça até a brincar com o gato.

Segundo o cientista Ko Kobayakawa, os ratos têm medo dos gatos porque são naturalmente condicionados a reagir com medo ao sentir o cheiro do predador.

Kobayakawa afirmou que o princípio pode ser aplicado a outros mamíferos, fazendo com que eles deixem de ter medo de seus inimigos naturais.

Propaganda

Na semana passada, gravei um programa do governo da Frente Popular, reconhecendo os números favoráveis no ensino médio segundo o Enem. Fui criticado por alguns.

"Você critica o governo e faz propaganda?", perguntou uma inteligência. Eu respondi: "Olha, eu amo a minha mãe, mas eu a critico quando ela comete erros."

A crítica no estádio das idéias é muito positiva, porque contribui para o processo democrático. Não sou a favor da adulação, visto que anula o discernimento entre o que é e o que pode ser melhor. Prefiro um governo de esquerda a um (des)governo de um PFL (ou DEM), por exemplo.

A Frente Popular alterou a educação para melhor, não se trata de uma revolução, mas a transformou. Há erros, mas não erros de canalhas, de hienas; são erros de pessoas que apresentam limites.

Espero que a Frente Popular continue por muito tempo no poder, com as minhas críticas lúcidas e sinceras.

terça-feira, dezembro 11, 2007

Focas

A TRIBUNA abriu as portas para os focas. Hoje, cinco se apresentaram e cada um escreveu uma matéria com 20 linhas. De um modo geral, os textos são ruins. Alguns passaram e outros estudam ainda na faculdade de jornalismo.

Abaixo, um fragmento de texto de um foca e, com ele, meus breves comentários.
____________________________

Na madrugada do ultimo sábado dia 8, Maria do Carmo de Souza foi brutamente espancada por seu companheiro Geilson de Souza.

Primeiro parágrafo

1. De cara, não domina o uso correto da vírgula;

2. Claro, se foi espancada, só pode ser de forma bruta. Não alguém que espanca de maneira suave, delicada; e

3. Deveria usar a voz ativa: Geilson de Souza espancou sua esposa Maria do Carmo de Souza.

Reconstrução

Na madrugada do dia 8 de dezembro, sábado, Geilson de Souza espancou sua esposa Maria do Carmo de Souza.

Maria do Carmo era moradora do município de Acrelandia localizado a 180 km de Rio Branco, onde mora com duas filhas, uma de 6 e 8 anos, e seu companheiro Geilson há mais de 10 anos.
Ocorreu que na noite de sexta-feira ela e algumas amigas resolveram dá uma passada na casa de uma prima, já era quase 1 da manhã quando saíram dessa residência
.

Segundo parágrafo

4. Criou o segundo parágrafo sem necessidade, porque informações do segundo poderiam estar no primeiro:

Na madrugada do dia 8 de dezembro, sábado, Geilson de Souza espancou sua esposa Maria do Carmo de Souza, mãe de uma criança de 6 anos e outra de 8. Os dois são casados há mais de 10 anos. Essa violência doméstica ocorreu em Acrelândia, 180 km de Rio Branco; e

5. Poderia ter criado o segundo parágrafo quando escreveu "ocorreu que na noite de sexta-feira".
_____________________________

As faculdades de jornalismo têm a obrigação de ensinar o aluno a escrever bem. Sair de uma faculdade sem saber usar, por exemplo, as vírgulas implica encontrar dificuldades na hora de escrever um texto para ser foca de uma redação de jornal.

segunda-feira, dezembro 10, 2007

Tonivan

Desde 1998, minhas aulas de Literatura misturam-se com filmes, e Tonivan, sempre prestativo, possibilita ótimas películas na escola e no teatro Hélio Melo.

Trata-se de um servidor público como poucos. Que em 2008 possamos passar ótimos filmes.

Sou muito grato, Toni!

sábado, dezembro 08, 2007

Clarice Lispector

Por que lemos narrativas ficcionais? Lá fora, a realidade não transfigura os objetos. A superfície da realidade encontra-se aprisionada em si mesma. A essa superfície, fixa-se a linguagem ordinária.

Em Signos, Maurice Merleau-Ponty escreve:

"
É preciso que ela seja poesia, isto é, que desperte e reconvoque por inteiro o nosso puro poder de expressar, para além das coisas já ditas ou já vistas."

Clarice é senhora de uma narrativa em que pulsa as inquietações do eu-lírico a fim de que a superfície seja transfigurada, por exemplo, em A Hora da Estrela.

A realidade por meio de sua narrativa passa por uma "deformação coerente", diria Ponty. Tamanha deformação expulsa a superfície dos objetos e da realidade.

Profunda, Clarice não pode ser entendida por leitores superficiais.

Hoje, sem que muitos saibam, ela faleceu há 30 anos, em 9 de dezembro de 1977.

sexta-feira, dezembro 07, 2007

Da revista CUT


Gilles Lipovetsky, 63, é um dos mais conhecidos pensadores atuais. Professor da Universidade de Grenoble, seu pensamento tem tido certa fecundidade não apenas no mundo acadêmico ou nos círculos filosóficos, mas também em outros universos, como o das artes, da educação, da psicologia, da política...e...do luxo.

O interesse pelo mundo do luxo e da moda tem sido a prova de que inúmeros e inusitados elementos da experiência humana fornecem a Gilles Lipovetsky ocasião para aprofundar o sentido dessa experiência. Nesse trabalho de aprofundamento, não há desprezo pelo cotidiano nem pelo que parece fútil ou frívolo.

Ao contrário, procurando redefinir o individualismo, Gilles Lipovetsky acrescenta novas misturas à palheta utilizada pelas filosofias atuais para pintar o indivíduo, como se pode perceber pela entrevista bem humorada que ele gentil e muito simpaticamente concedeu por telefone à CULT.

CULT - Como o senhor chegou ao universo do luxo como domínio de pesquisa filosófica? Poderia nos contar um pouco do trajeto de sua formação?
GILLES LIPOVETSKY - Tenho uma formação de filósofo; estudei filosofia na Sorbonne e depois ensinei muitos anos a filosofia mais tradicional, quer dizer, a história da filosofia. Autores como Platão, Kant, Hegel etc. Meus interesses voltavam-se, sobretudo, para a compreensão da história e da vida social, ligados, provavelmente, à minha formação marxista. Meus interesses se fixavam na observação do mundo e suas transformações. Distanciei-me, porém, do marxismo, sobretudo no que dizia respeito à noção de alienação, pois toda cultura de massas era vista como algo alienado. Interessei-me, então, pelas questões que geralmente são desprezadas pelos filósofos. Platão, por exemplo, não gosta da caverna. Para ele, é necessário sair para contemplar a beleza das idéias eternas, inteligíveis. Ao contrário, eu me interesso mais pela caverna; pretendo iluminá-la, sem precisar sair dela. Foi assim que me interessei pelos objetos mais desprezíveis para a maioria dos filósofos, como a publicidade, o lazer, o consumo, a moda, a maquiagem. O luxo, então, foi uma continuidade de tudo isso. Mas não falo apenas segundo um interesse pessoal, porque a moda ou o luxo não me interessam senão ao espírito; parece-me que tudo isso exprime muitas coisas de nossa época, da cultura, da psicologia e da natureza de nossa sociedade.

CULT - Mas, ao mesmo tempo, o senhor não ficou desgostoso com esse universo...
G.L. - Bem... Desgostoso não...

CULT - É que o senhor vinha de uma formação marxista, e muitos marxistas são radicais com respeito à condenação desse gênero de interesse...
G.L. - Eles têm um reflexo moral inteiramente justo, porque é verdade que há algo de escandaloso no luxo. Eu li, por exemplo, recentemente, que está retornando, na moda masculina, a utilização da pele de crocodilo. Em algumas marcas, uma jaqueta masculina chega a custar 80 mil dólares. Quando vemos algo assim, é difícil - como você diz - não ficar desgostoso. Porém, o que me interessa mais é o luxo acessível, não um luxo Rolls-Royce...Quis, de início, saber por que a indústria do luxo, no momento da globalização, mudou seus rumos. Hoje, mais da metade dos europeus compra ao menos uma marca de luxo por ano; tem-se tornado um fenômeno democrático. E não se trata de luxo que escandaliza. Comprar um vidro de perfume, um batom, uma bolsa de mil ou 2 mil dólares não é algo escandaloso. Talvez seja ridículo, mas não escandaloso. Esse é o luxo que me interessa, assim como também tenho interesse pelas técnicas de marketing, os novos modelos de lojas, pois isso toca a todos nós; trata-se de um fenômeno estético de nosso mundo. Se vemos as boutiques, nas cidades, não podemos negar que são belas. Isso é diferente de uma Daslu, por exemplo. Daslu é algo mais escandaloso...Pode-se chegar lá de helicóptero...Há favelas em volta...É chocante. Daslu é quase uma provocação. Mas, nas cidades, quando as marcas de luxo constroem grandes prédios, fazem belas lojas etc., as pessoas entram, vão ver, pois os espaços são abertos a todo mundo. Trata-se de um luxo acessível, relativamente democrático. O outro luxo, voltado para milionários, não me interessa. Esse é um universo que eu não conheço. Numa palavra, o que me interessa é o fenômeno da democratização do luxo.

CULT - Mas seria desejável tornar o luxo mais democrático? O que o luxo diz sobre a natureza humana?
G.L. - Já Shakespeare notava que, se acabarmos com os objetos de luxo, não teremos nada além de animalidade. O que o luxo diz é que o homem não se contenta apenas com a satisfação de suas necessidades naturais. Há, acima de tudo, uma busca de excesso, de ultrapassamento da simples naturalidade. Além disso, o luxo não é simplesmente uma demonstração de riqueza. Pode o ser, mas esse não parece o seu sentido. Há uma busca de beleza no luxo; uma busca de sensualidade. Há um gosto por tudo o que é refinado. Isso exprime, ao mesmo tempo, a competição entre os homens - é por isso que se trata de algo universal, pois os homens, desde sempre, rivalizaram por riquezas. Haveria, ainda, uma questão muito delicada: a arte faz parte do luxo ou não? Penso que sim. Costumamos deixar isso de lado, porque a arte tem uma dimensão espiritual, com referências ao sagrado, à Beleza, mas, se consideramos o preço de uma obra de arte, vemos que estamos muito próximos de um objeto de luxo. Essa é a razão pela qual as pessoas mais ricas, hoje, estão se tornando colecionadoras de arte contemporânea. Creio que o luxo testemunha o fato de o homem, como dizia Bataille, ser negatividade: ele não se satisfaz com o que tem, mas quer sempre mais.

CULT - Mas um objeto de luxo é necessariamente belo? Um artista não pode desejar o feio?
G.L. - Se adotarmos um olhar antropológico sobre o luxo, veremos que ele não esteve sempre associado a coisas belas. Em algumas sociedades, alguns animais tinham valor especial, como os cães para os esquimós. Isso aparece como luxo, mas não se trata necessariamente de beleza. É verdade que, a partir de um certo momento, o luxo e a beleza foram ligados, mas hoje ainda há produtos de luxo que não são necessariamente belos. Por exemplo, quando viajamos em primeira classe de avião: a decoração é a mesma que a da segunda classe ou da classe econômica. O que faz, então, o produto de luxo não é necessariamente a beleza, mas o bem-estar. Para dar uma palavrinha sobre a Beleza, eu diria que, atualmente, ela se "democratizou": a maior parte das pessoas vê mais coisas belas hoje em dia (na televisão, nas revistas, na publicidade etc.); nós consumimos beleza non stop. Vemos a beleza por todos os lados; certos produtos são acessíveis quase a todo mundo, como, por exemplo, os cosméticos. Talvez não as grandes marcas, mas já faz quase um século que os cosméticos se tornaram acessíveis a praticamente todas as pessoas das sociedades desenvolvidas. Nesse contexto, há novos mercados de luxo à procura de algo que está além da simples beleza. Isso remete muito mais à sensação do que à beleza...

Violência contra o Homem

"Maria Rosimeire Lima da Silva (33) foi levada, na noite de anteontem, à Delegacia Central de Polícia. Ela foi denunciada pelo ex-marido Edvan Vieira da Silva (51) de ir à sua casa para perturbar seu sossego. Depois de um acordo comum, acabou liberada."

quinta-feira, dezembro 06, 2007

Férias (2)


O que o Conselho Escolar fará?

Não podemos ficar olhando sempre para a paisagem.













Férias (1)


Em pleno momento de transição, a gestora Lúcia, da escola Heloísa Mourão Marques, entrou com pedido de férias. Não se sabe se tal pedido passou, primeiro, pelo Conselho Escolar.

Na Secretaria de Educação, algumas pessoas comentaram que as férias surgiram em um momento impróprio, porque a atual gestora deveria preparar todo processo de transição para e com a professora Osmarina, a futura diretora.

Por uma nova e melhor escola pública

Hoje, conversei com duas amigas, mulheres inteligentes que lecionam na escola Heloísa Mourão Marques: as professoras Osmarina (Geografia) e Alessandra (Literatura e Língua Portuguesa). Esta foi minha ótima aluna na Universidade Federal do Acre; e aquela, futura gestora da escola a partir de 2 de fevereiro.

Osmarina apresentou uma ótima idéia para qualificar o ensino da escrita e da leitura em 2008, qual seja: dois professores exclusivos para as aulas de Produção Textual. Alessandra gostou.

Disse a elas que precisaremos construir uma apostila ou um material didático para a produção de texto. Os professores que lecionarem Gramática e Literatura deverão gravitar ao redor da Produção Textual.

Serei claro. Em todas as redações, os alunos não sabem usar, por exemplo, vírgula e acentuação. Assim sendo, o professor de Gramática aplicará muito exercício para eliminar os erros de vírgula e de acentuação. Sua gramática sairá conforme os problemas redacionais.

O professor de Literatura, por sua vez, trabalhará com textos poético e narrativo, observando neles, por exemplo, pronomes oblíquos, porque tais pronomes não aparecem nas redações.

São dois exemplos, mas poderemos ampliar essa idéia por causa de uma nova prática.

Tenho certeza de que a escola Heloísa Mourão Marques contribuirá para que o ensino público acreano consiga elevar mais ainda seus índices no Enem.

quarta-feira, dezembro 05, 2007

Matéria de Josafá Batista

Acre fica em 20º em Exame Nacional
de Leitura, de Ciências e de Matemática

Os alunos do Acre ficaram em 20º lugar em um exame do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), realizado a cada três anos pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Ainda de acordo com o exame, o Brasil está entre os cinco últimos colocados nas avaliações de ciências, matemática e leitura.

Na divisão por setores avaliados, os alunos do Acre ficaram em 24º lugar em Leitura e em 19º lugar em Ciências e Matemática, em comparação com o desempenho de estudantes dos demais Estados brasileiros. Foram avaliados 9.292 alunos em agosto de 2006, em 625 escolas de 390 municípios de todos os Estados.

Em Ciências, os Estados que apresentaram melhor desempenho foram: Distrito Federal, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Sergipe, Goiás e Rondônia.

Em Leitura, cuja média nacional foi de 393 pontos, dez Estados ficaram acima da média: Santa Catarina, Distrito Federal, Rio de Janeiro, Paraná, Rondônia, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Sergipe, Espírito Santo e Paraíba.

A melhor média estadual em Matemática foi alcançada pelos estudantes do Distrito Federal. Além deles, ultrapassaram a média nacional os estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Sergipe, Espírito Santo, Goiás e Rondônia.

As médias gerais dos países ricos da OCDE são 500 pontos em Ciências, 492 em Leitura e 498 em Matemática. Os brasileiros que participaram do programa conseguiram média de 393 pontos em Leitura, 380 em Matemática e 390 pontos em Ciências, área prioritária na edição de 2006.

As médias obtidas pelo Acre foram 366 em Ciências, 346 em Matemática e 356 em Leitura.

Meninas são melhores em leitura

Os resultados do Pisa mostram alguns detalhes da realidade educacional acreana que podem contribuir na elaboração de políticas públicas. Apontam, por exemplo, para uma acentuada diferença de desempenho por gênero.

Enquanto meninos são melhores em Matemática e Ciências, as meninas os superam em Leitura.
Em Ciências constata-se uma pequena diferença: meninas ficaram com 362 pontos e meninos com 372. A vantagem, portanto, é de apenas 10 pontos. Essa diferença aumenta para 15 pontos nas médias de Matemática, onde mulheres tiveram 340 pontos e homens, 355.

Mas quando o assunto é Leitura as meninas tiveram nada menos que 16 pontos a mais: foram 367 delas a 347 deles.

Para o seu filho ler

. Os alunos brasileiros não estão conseguindo aprender matemática como deveriam. Isso é muito ruim, porque saber matemática não serve só para fazer contas, tirar uma nota boa na prova e passar de ano.

. Quem não sabe lidar com os números se atrapalha nas tarefas mais simples e pode acabar gastando mais dinheiro do que tem. Quem sabe bem matemática consegue calcular o que dá pra fazer com a mesada e ver se o troco que recebeu em uma compra está certo.

. Mas não é só isso. A matemática pode ajudar as pessoas a pensar melhor. O aluno que aprende a fazer cálculos melhora o raciocínio e a lógica. Isso ajuda a fazer escolhas, tirar conclusões, desenvolver novas idéias, se concentrar mais e encontrar soluções em momentos importantes da vida.

terça-feira, dezembro 04, 2007

Nunca fomos campeões do mundo

2006

Entre 57 países
Ciências

1. Finlândia - 563,32
52. Brasil - 390,33

Entre 56 países
Leitura

1. Coréia - 556,02
49. Brasil - 392,89

Entre 57 países
Matemática

1. China (Taiwan) - 549,36
54. Brasil - 369,52

Antônio (3)

Entre as várias alegrias deste ano, o meu aluno Antônio foi uma delas. Humilde, sempre calado, muito tímido, esse jovem talentoso me encarou como um bom obstáculo para eu ser ultrapassado.

Fez e refez sua dissertação várias vezes para aprender com os erros. Ótimo desenhista, esse cara precisa de uma direção que qualifique o ensino da escola HMM.

Para tanto, acredito que a nova gestora, professora Osmarina, com sua inteligência e com sua sensibilidade, ofertará uma outra escola pública a Antônio.

Tenho certeza de que transformei a escrita desse aluno, mas, mesmo assim, precisamos melhorar mais ainda.

Um grande abraço carinhoso em teu destino, Antônio, e que você seja vitorioso nesta breve vida.

Estude, meu irmão, porque, como eu disse, estude para que ninguém o humilhe, estude para transformar a vida de teus pais, estude para edificar uma sociedade melhor.

Antônio (2)



Muito bom.

Antônio (1)


Talentoso, a escola HMM precisa reconhecer alunos como Antônio.

Com sua arte, a escola poderia viablizar uma remuneração para seu talento.

Henrique Afonso em meu comentário

Setorial GLBT pede Comissão de Ética
para deputado do Acre

Matéria anônima

O setorial GLBT do PT requereu à Comissão Executiva Nacional do partido a abertura de Comissão de Ética contra o deputado federal Henrique Afonso (PT-AC), que tem se posicionado contra aprovação de leis que asseguram os direitos de homossexuais e produzido declarações consideradas homofóbicas.

"As ações do deputado sistematicamente têm se alinhado aos setores religiosos fundamentalistas em ações discriminatórias às lésbicas, gays, travestis, transexuais e bissexuais", afirma Julian Rodrigues, da Coordenação Nacional do Setorial GLBT e um dos autores do pedido de Comissão de Ética.

O pedido será analisado pela CEN em sua reunião do próximo dia 11, em Brasília, e o deputado Henrique Afonso pode ser expulso do PT.
______________________________

Conheci Henrique Afonso quando logo cheguei ao Acre em 1992, em Cruzeiro do Sul. O então sindicalista Henrique pertencia ao quadro realista da ditadura do proletariado, isto é, ao Partido Comunista do Brasil, o PC do B.

Um bom homem. Ótima pessoa. Ser humano digno de respeito, acreano que honra não só o Acre, mas este país tão carente de homens públicos decentes.

Conheci-o na simplicidade, morando em uma casa sem ostentação. Creio que ele ainda permanece simples, porque, hoje, no PT, o deputado federal não deixou de ser cristão.

Se ele critica os homossexuais, é porque lê a Bíblia. O Livro Sagrado condena relação entre pessoas do mesmo sexo. Ora, os homossexuais devem condenar Deus.

O Senhor que é homofóbico.

As férias da diretora

Escrever em um blog sobre a gestão de uma diretora não é ato de gente irresponsável, mas a certeza de que um gestor não pode ficar acima de normas, de leis, de procedimentos éticos. "Você está se queimando, Aldo", diziam alguns colegas.

Para mim, diretor deve ser exposto como qualquer pessoa pública, porque sua importância é vital. Escola mal administrada, alunos perdem muito. Por isso, uma vez informado, uma vez com fontes, eu não economizei críticas (éticas) à administração da professora Lúcia.

Quando saiu o resultado da eleição da escola Heloísa Mourão Marques, ela me disse que "tinha tirado um peso das costas". Hoje, soube que ela tirou suas férias. Escrito talvez por alunos, um cartaz no portão ironiza: "Amanhã, não haverá aula, porque a diretora Lúcia morreu."

A escola encontra-se largada há meses. Professores e funcionários a levam nas costas enquanto uma diretora permanece indiferente à educação pública. A professora Lúcia pensou que jamais fosse criticada por meio de um blog. Pagou para ver. E pagou caro. E eu, minha cara, não barganho com as aparências.

Sua administração contabilizou, também, arbitrariedades. Hoje, por exemplo, soube que um funcionário permanece dias sem trabalhar e, quando digo dias, somo mais de 15 dias. É correto? Devemos ficar calados? Não.

As férias, agora, representam mais um descaso por nós, funcionários, professores, alunos e pais. A Frente Popular deve repensar os deveres e as obrigações de um gestor escolar, porque os abusos existem.

E, quando eu souber deles, publicá-los-ei neste blog. No fundo, não sou eu quem fica queimado. O Acre mudou, e eu quero mais mudanças. Tenho sonhos e descobri há anos que meus alunos também sonham.

segunda-feira, dezembro 03, 2007

Blog do Crica

(...) Mas, parece que alguns assessores seus agem exatamente ao contrário do que pensa o governador. Querem ser mais reais que o rei. Quanto mais as coisas correrem livremente melhor para o governo, para a sociedade e para a imprensa. Cargo de confiança, mandato, são passageiros: você dorme nele e acorda fora dele. Isso quem precisa entender é o secretário de Comunicação, Itaan Arruda, com aquele seu jeitão de Marques do Xavier Maia, Alto Alegre e adjacências. Passou a semana tentando brecar na imprensa notícias sobre a soltura de presos pelo chamado indulto natalino, porque no seu errado entendimento poderia causar uma comoção na sociedade. Se o governo não se preparou para enfrentar este tipo de situação, melhorando a estrutura da secretaria de segurança, onde faltam policiais civis, delegados, viaturas e armas, é outra história. Na Polícia Militar as carências não são muito diferentes. Temos que dizer sim, senhor Itaan, que estes bandidos estarão nos próximos dias nas ruas, e em sua grande maioria assaltando cidadãos de bem. Por que esconder? Por que este patrulhamento? A imprensa tem que escancarar, que esculachar, porque este é o seu papel. Não temos que pedir aos magistrados que pisem na lei, mas que analisem com cuidado cada soltura. Não adianta varrer o problema para baixo do tapete: se forem colocados 400, 500 presos nas ruas, como se propala, os assaltos irão sim senhor, aumentar. E temos que noticiar o fato. (...).
_________________

Sempre leio o http://www.ac24horas.com/blogdocrica/ e confesso que, além dos erros crassos de português, invejo sua maneira inocente e tosca de escrevinhar. Ele afirma que o assessor de comunicação, Itaan Arruda, é um censor.

Somos mais de 2oo mil pessoas em Rio Branco, e jornais da capital não possuem uma tiragem de 1,5 mil periódicos. Com esse número - repito, 1,5 mil -, a censura ou o limite encontra-se na própria quantidade de jornal vendido.

Os jornais acreanos não são mais importantes para informar e opinar, porque os blog são livres e são mais acessados que os números da Gazeta, da Tribuna, do Página 20. Itaan não tem poder de censurar um blog.

Censura não cabe ao mouse. O blog é livre para opinar e informar.

Quais os critérios?



Quem quiser pode colocar seu nome para ser candidato a coordenador de ensino?

Deve prevalecer a vontade pessoal ou devemos definir critérios objetivos?

Para mim, não é a vontade pessoal ("eu quero") que se submeterá à votação, mas qualificações prévias para que haja o candidato a coordenador de ensino.

Democracia não implica escolher, mas qualificar para, aí então, ser escolhido o coordenador.

Na foto, a professora Maria Célia, de Literatura e de Língua Portuguesa, vota.





Para Antonio Stélio


sábado, dezembro 01, 2007

Professor Tadeu

Conversamos tantas vezes, perguntei a ela no momento do debate, e a professora-gestora Osmarina concordou com a idéia de sua gestão ser avaliada pelos segmentos da escola. O professor Jorge Braun disse que essa avaliação deveria ser a cada três meses, é uma proposta.

Ora, se alunos são avaliados, gestão e corpo docente devem também se submeter a uma avaliação não para condenar esse ou aquele, mas para que gestão e educadores leiam suas falhas a fim de corrigi-las.

Nesse sentido, o coordenador de ensino deve ser avaliado, por exemplo, pelos professores. O professor Tadeu precisa criar um questionário com os professores para haver essa avaliação.

Precisamos formalizar isso.

Além, o professor deve apresentar suas metas para 2008. Idéias existem; e o momento, precioso.

Hoje, por causa da Secretaria de Educação, podemos reconstruir a escola, porque certas condições foram colocadas pelo anterior e pelo atual governo.

Na escola estadual, professor leciona para 2 ou para 3 turmas, mas os resultados são inferiores em relação a um professor que leciona para 11 turmas de uma escola particular.

Como qualificar o ensino de Língua Portuguesa? O professor Tadeu, agora, dará as respostas como coordenador de ensino. Que seja vitorioso.

Escolha de coordenador de ensino

Pela primeira vez no Acre, o gestor não escolheu seu coordenador de ensino, mas deixou que o corpo docente decidisse. Eu propus essa idéia à ex-gestora, mas ela preferiu não dar ouvido à democracia. Imaturidade.

Entretanto, tenho certeza, esse processo de escolher o coordenador de ensino precisa se aprimorado, porque deixou algmas falhas. Uma delas: não houve debate entre os candidatos. Outra: certas pessoas não deveriam votar, por exemplo, a atual coordenadora de ensino e gestora Lúcia.

Ora, essa democracia foi um acordo entre corpo docente e a professora Osmarina, não havendo nenhuma relação com a coordenadora de ensino e a diretora atuais. Como sabemos, elas não proporcionaram à escola esse Bem, pelo contrário.

Sendo assim, quem não se comportou de forma democrática, isto é, quem não permitiu a democracia escolar não poderia usufruir desse bem democrático. Trata-se de um contra-senso.

Espero que na atual gestão os professores formalizem normas para que sejam aprovadas pelo Conselho Escolar.

Professor Tadeu, coordenador de ensino

Na foto, o professor Tadeu vota para eleger o coordenador de ensino. A nova gestora, professora Osmarina, possibilita uma atitude democrática única no Acre: professor votar em seu coordenador.

Espero que meu colega realize um ótimo trabalho para transformar a educação e o ensino da escola Heloísa Mourão Marques.

Talento

Aglaiz Monteiro de Freitas, de 18 anos, transpira talento quando desenha e pinta. Esse modelo de aluna precisa de uma escola que saiba evidenciar sua arte.



Açeçoriá de Inpremçá

"Essa é a pergunta que a deputada Perpétua Almeida (PC do B) vem recebendo de seus pares nos últimos dias. Eles querem saber o por quê de destinar R$ 1 Bi para quadras de esporte em uma cidade que não tem sequer 500 mil habitantes."

1. Eles querem saber o porquê.

Belas palavras

Há quem diga que para escrever precisa-se apenas de papel e caneta. Eu, porém, vos digo que isso só não basta. É preciso ter experiência, ir em busca de conhecimento e ter inspiração para buscar uma 'nova vida', um 'novo mundo', um novo 'jeito de se encarar a vida'. Impulsiona-se a vida no arriscar-se diário de novas experiências e transições de fases que transformam-nos na metamorfose do conhecimento e na incógnita do ser racional. Deixemos, pois, o medo para os fracos e arrisquemo-nos no incomparável que é viver.”

Professora Maria de Fátima Maia de Andrade

quinta-feira, novembro 29, 2007

Elaíne


A inteligência dessa aluna é bem maior que sua altura. Para ela, a escola pública deveria exigir muito mais. Muito e mais.

Sua poesia recebeu um prêmio, e seus versos entrego agora aos seus olhos, bloguista.







Talvez

Talvez eu quisesse que você me amasse,
Talvez eu quisesse que o céu desabasse,
Talvez eu quisesse que a lua girasse,

Talvez eu quisesse que o mundo parasse,
Talvez eu quisesse num só momento
Beijar-te em silêncio em meus pensamentos,

Talvez eu quisesse voltar ao passado
E pagar todos os erros deixados.

Talvez eu quisesse o mar em minhas mãos
E te oferecer ondas de paixão.

Talvez eu quisesse que os talvez acabassem
E que no mundo só você e eu

restassem...

É... talvez!!!

quarta-feira, novembro 28, 2007

Democracia

Amigo, a escola HMM deu um grande avanço na democracia por meio de uma assembléia com 55 funcionários. Conseguimos, por meio do voto aberto, eleger um vigia para coordenador de administrativo. Foi eleito por maioria absoluta embora nem fosse conhecido entre seus pares. Seu nome é Valdir, perdoe-me, mas ainda não sei seu sobrenome, sei apenas que aceitou o desafio, que votou em mim pelas minhas idéias, tem o 4o período de administração de empresa e dois de ciências sociais. Espero termos acertado, confio em Deus e acho que sim.
________________________

Na sexta-feira, os professores escolherão o coordenador de ensino por meio do voto. A gestora Osmarina está cumprindo o que falou. Tem palavra.

Por que os coordenadores não podem ser votados por seus pares? A escola, em sua gestão, precisa sacramentar essa democracia para, em outro momento, melhorá-la ainda mais.

A um colega de profissão

















Outro dia, conversei com o professor Luís, de Língua Portuguesa, sobre visitar a família após o ano letivo. Ele expôs o desejo intenso de rever sua mãe. Luís chegou há pouco tempo nesta parte do nosso Brasil, veio de Mato Grosso.

Mas o destino não é um cáculo, um produto cartesiano, um ponto exato segundo a abscissa e a ordenada. A vida é imprecisa como a onda do mar, como a nuvem em forma de asa. A vida, sabemos, é barroca como os quadros de Rembrandt - surpreende.

Por volta da meia-noite de quinta-feira, o telefone interrompe o sono de Luís. Sua mãe não se encontra mais entre nós, simples mortais. Revê-la, agora, pertence ao que o passado deixou em sua infância, em sua adolecência.

Luís, meu querido, que, por meio desta singular dor, você edifique um Amor maior ainda pela vida, porque, conforme seu jeito sempre educado e amoroso de ser, você revela que a sua amada mãe deixou marcas profundas em teu caráter.

O quanto nossa fragilidade escorre como lágrimas neste momento de perda.

Nós, professores da escola Heloísa Mourão Marques, somos solidários neste momento... tristeza.

terça-feira, novembro 27, 2007

Professora Osmarina no jornal

Hoje, na escola Heloísa Mourão Marques, a professora Osmarina, eleita à gestora, ficou preocupada com uma matéria publicada no jornal A TRIBUNA. O repórter afirmou que ela é "oposição". Pessoas na Secretaria de Educação não gostaram da palavra.

Li o texto, e essas pessoas interpretaram segundo suas intenções. As linhas deixam claro nenhuma referência à "oposição ao governo". Certos indivíduos precisam aprender a ler.

O repórter cita duas escolas que optaram pela continuação de um trabalho, ou seja, a oposição não venceu. Mas venceu na escola Heloísa Mourão Marques com a professora Osmarina.

Como colega de trabalho, posso afirmar que a professora Osmarina reconhece avanços na educação acreana e, por causa disso, em sua gestão, fará um belo trabalho para elevar os esforços da Secretaria de Educação do Estado do Acre.

Longe de ser uma estúpida, a professora-gestora Osmarina sabe o que deve ser feito para o bem da escola pública, muito diferente de alguns que não sabem sequer ler um texto simples de jornal.

segunda-feira, novembro 26, 2007

Cofrão


No terminal de ônibus de Rio Branco, a falta de elegância ou de educação é visível.

O Enem do Acre

Da 23ª posição em 2006, o Acre ficou em 14ª em 2007 entre todos os estados. No Norte, em 2006, o Acre ficou na posição, subindo para a posição em 2007.

As escolas públicas obtiveram 47,10 em 2006 e 54,57 em 2007.

As escolas particulares do Acre permanecem em 1º lugar no Norte: 60,31 (2006) e 63,45 (2007).

Não podemos ser ufanistas, mas devemos reconhecer, de forma equilibrada, que os números na redação do ensino médio são maiores. Existe um aumento gradual.

Precisamos melhorar mais e mais. Sempre mais.

Matéria de Josafá Batista

Indicadores da escola particular
elevam desempenho do Acre no Enem

Professora de escola pública há 15 anos, Mônica Maria de Carvalho Araújo, de 36 anos, tem três filhos e uma jornada de trabalho exaustiva. Além das quatro horas na sala de aula da escola Roberto Sanches Mubárac, ela precisa dedicar mais três ao planejamento. São sete horas por dia, de segunda a sexta. Em ano de greve dos professores, aos sábados também.

O local de trabalho de Mônica passou por algumas melhorias nos últimos anos. Os professores foram valorizados, ganham melhor. Mas a maioria das salas ainda não tem ar-condicionado nem espaço para a informática, e cada professor dá aula para turmas com 40 e 45 crianças - o recomendado pela Unesco é metade disso.

“É preciso ter amor. Meus filhos, por exemplo, eu só vejo à noite, porque não tenho tempo durante o dia. Quando não estou aqui, estou planejando as aulas”, explica Mônica Maria Carvalho, que ganha R$ 1,4 mil mensais por tanto sacrifício.

O marido, diarista, complementa a renda doméstica, mas a família se ressente da ausência materna. E também sonha com o dia em que a profissão da mãe compense tanto sacrifício.

Mas o horizonte não é promissor. Esses pequenos e grandes problemas, de fato bem mais graves no passado que hoje, ainda tendem a ampliar a já considerável distância entre os indicadores da educação pública e privada.

Prova disso é o recente Exame Nacional do Ensino Médio (Enem): o comemorado salto da educação acreana foi puxado, ironicamente, pelas escolas particulares.

Na prova objetiva, contendo questões de várias matérias e pontuação entre 0 e 100, os alunos da rede pública tiraram 42,91 pontos. Os das escolas particulares alcançaram 59,34, puxando a média do Acre.

O milagre da redação

Mas não foi na prova objetiva o grande empurrão das escolas particulares sobre as públicas. Prova disso é que, nelas, a nota final do Acre está entre as cinco piores do país. Se contabilizadas somente as escolas públicas, o Acre “sobe” para o quarto pior lugar.

A grande revelação foi a prova de redação, onde tanto escolas públicas quanto particulares obtiveram ótimos índices. As públicas faturaram 54,57 pontos, o 14º melhor lugar do ranking nacional e 9 pontos acima do obtido no Enem do ano passado.

No entanto, o salto das escolas particulares foi muito maior. A pontuação de 63,45 pontos é a melhor de toda a Região Norte, está acima da média nacional (apenas 55,99 pontos), e, de quebra, é a quarta melhor colocação de todo o país nessa categoria.

Na divulgação do desempenho por Estado, o Enem somou as escolas públicas às particulares. O resultado para o Acre foi óbvio: uma das melhores colocações em redação do país. Orgulhosa, a Secretaria de Estado de Educação (SEE) atribuiu as notas às políticas de treinamento e de valorização dos professores.

Mônica Maria, a professora entrevistada pela reportagem, não discorda. Ela agradece ao governo Binho pelos cursos, pelas capacitações e pelas melhorias salariais. Mas não deixa de perceber algo interessante.

“Se o sujeito quiser ser professor, pensando em ganhar dinheiro, é melhor desistir. É preciso ter muito amor, muito mesmo. E disposição para fazer muito sacrifício”, revela a mestre, cujos filhos são, tais quais os seus alunos, crianças.

Confira os números e compare

Enem 2006rede pública

30,27 foi a média na prova objetiva, 25º lugar do ranking.

47,10 foi a média na prova de redação, 23º do ranking.

Enem 2006rede privada

41,35 foi a média na prova objetiva, 22º lugar do ranking.

60,31 foi a média na redação, 8º lugar do ranking.

Na média nacional, os participantes do Enem 2006 obtiveram 36,90 na parte objetiva e 52,08 na redação.

Enem 2007rede pública

42,91 foi a média na prova objetiva, 23º lugar do ranking.

54,57 foi a média na redação, 14º lugar do ranking.

Enem 2007rede privada

59,34 foi a média na prova objetiva, 25º lugar do ranking.

63,45 foi a média na redação, 4º lugar do ranking.

Na média nacional, os participantes do Enem 2007 obtiveram 51,52 na parte objetiva e 55,99 na redação.

De um blogueiro

Quero aqui parabenizar a minha querida professora Osmarina pela conquista da direção da Escola Heloísa Mourão Marques, minha escola. Fico muito feliz por saber que os alunos deram esse voto de confiança a ela.

Quero lembrar um fato aqui: Osmarina assim como o professor Aldo Nascimento é "problemática". Ah, se todos os educadores fossem problemáticos, certamente teríamos outros números no Enem.

Professora Osmarina um beijo em teu coração, seja feliz. A senhora chegou aonde a senhora merece.

Do aluno José Pinheiro.
Comunicação Social/ Jornalismo- Ufac.
__________________________

sábado, novembro 24, 2007

Uma nova gestora

Após 15 anos na escola estadual Heloísa Mourão Marques, a professora Osmarina, de Geografia, ganhou a eleição à gestora com uma vantagem enorme sobre a atual administradora, professora Lúcia - 613 votos contra 189 ou 61,21% contra 29,49%.

Trata-se de rejeição incontestável. Na eleição anterior, a professora Lúcia recebeu 61,02%. Mas a gestora não soube ir ao encontro dessa maiora e, para a professora Osmarina, perdeu feio. Isso indica que a escola deseja transformações profundas, por exemplo, qualidade de ensino.

Lúcia errou demais: centralizou ações, ausentou-se muito da escola, agiu em muitos casos de forma arbitrária. A resposta não poderia ser outra: crítica explícita e velada. A professora Lúcia deve ter aprendido que diretor de escola também é criticado, porque, hoje, o Acre é outro. O mundo não pára.

"Na próxima-semana, os professores escolherão seu coordenador de ensino", declarou a professora Osmarina. A ex-gestora negou-se a isso, chegando a infrigir a Lei 1513, isto é, seus coordenadores não pertenciam ao quadro de funcionários da escola.

Como professora de Geografia, Osmarina sabe que existem erosões na escola. Ela precisará plantar paixões para que o solo germine qualidade de ensino. "Precisamos transformar a escola para que ela seja uma das melhores do Acre", crê Osmarina.

Para quem deseja ser vencedor, o trabalho exige constância de todos. Que a sua vitória seja maior ainda após quatro anos. A escola HMM precisa ser outra no final de quatro anos. Em 2006, no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), sua colocação, mais uma vez, deixou a desejar.

Entre as dez escolas públicas, sua Redação ficou na sexta posição.

Redação de 2006

1. Rodrigues Leite - 43.94
2. Barão do Rio Branco - 39.57
3. Lourenço Filho - 37.57
4. Glória Perez - 37.05
5. Ribamar Batista - 35.44
6. Heloísa Mourão Marques - 35.15
7. João Aguiar - 34.96
8. Henrique Lima - 33.82
9. Humberto Soares - 32.92
10. Leôncio de Carvalho - 30.76

Com as particulares, ela desce.

Particulares
1. Meta - 53.37
2. Lato Sensu - 52.73
3. Imaculada Conceição - 50.46
4. Alternativo - 47.82
5. Fundação Bradesco - 45.77
Públicas
6. Rodrigues Leite - 43.94
7. Barão do Rio Branco - 39.57
8. Lourenço Filho - 37.57
9. Glória Perez - 37.05
10. Ribamar Batista - 35.44
11. Heloísa Mourão Marques - 35.15
12. João Aguiar - 34.96
13. Henrique Lima - 33.82
14. Humberto Soares - 32.92
15. Leôncio de Carvalho - 30.76

Em 2012, desejo ver a escola HMM acima das escolas particulares.

Final

video

Pela brecha da janela

Começou às 21 horas e terminou às 23h31. Pela brecha da janela, os eleitores encontravam os números favoráveis por meio das expressões faciais.

"O professor Gleidson está sorrindo demais, isso quer dizer que a Osmarina ganhou", sentenciou um aluno.

Ele acertou. Por quatro anos, a escola pública Heloísa Mourão Marques será administrada pela professora Osmarina.

Olhe também pela brecha da janela.

video

Eleição da Escola HMM

Professora Lúcia
Professora Osmarina

Alunos: 136
Alunos: 541

Pais: 10
Pais: 18

Pais e alunos: 9,40%
Pais e alunos: 35,97%
_____________________________

Funcionários: 30
Funcionários: 15

Professores: 13
Professores: 39

Funcionários e professores: 20,09%
Funcionários e professores: 25,23%

Total: 29,49%
Total: 61,21%
_________________________

quinta-feira, novembro 22, 2007

Expressionismo














Visitar um museu de belas-artes? Entre nós, não há Van Gogh. Não há quadros. Não há arte, beleza.

Somos um país rico... rico em miséria social.

O Expressionismo (re)toma para si conceitos do pré-romantismo, um deles: a subjetividade.

Mas o que é?

Em seu manifesto, publicado em 1918, Kasimir Edschmid escreve que "ninguém duvida de que a essência das coisas não seja a sua realidade exterior. A realidade tem que ser criada por nós". No entanto, ainda que criada por nós, ainda que haja a força do subjetivo, isso não exclui a universalidade.

Subjetivo, aqui, portanto, não implica fazer o que deseja, mas a inquietude da criação implica buscar o novo universal.

Palavra



Repare, a palavra na escola não é preservada.

Da "fanfarra", ficamos só com "RR".

Aqueles que são diretores deveriam deixar o cargo com a escola pública muito limpa. Limpíssima!

Osmarina & Lúcia















Hoje, eu soube que os professores Gleidson (Matemática) e Aires (Física) retiraram suas candidaturas para apoiar a professora Osmarina (Geografia).

Gleidson colocou os números sobre a mesa e concluiu que a maioria dos funcionários poderia (re)colocar a professora Lúcia na direção da escola Heloísa Mourão Marques por mais quatro anos.

O professor Aires, por sua vez, usou a Física para descobrir que seu corpo e o do candidato Gleidson, segundo os funcionários de apoio, estavam em queda livre.

Como a professora Osmarina tinha mais voto do corpo docente, Matemática e Física cederam terreno à Geografia da Osmarina.

Amanhã, dia de votação. Que ela vença. Quem? Ela, a...

democracia.

quarta-feira, novembro 21, 2007

Alunos(as) & Candidatos(as)

Que desejo incomprável e inalienável de um dia ver a escola Heloísa Mourão Marques como uma das melhores do Acre. Que desejo!

Que desejo de apreciar meus alunos vitoriosos.

Ainda neste ano, deveríamos saber quantos se submeterão ao vestibular da Universidade Federal do Acre, quantos farão uma boa e ruim redação.

Por quatro anos, o novo diretor ou a nova diretora deverá imprimir na vida desses jovens qualidade de ensino, cobrando de alunos e de professores.

Ouça o último debate e...


video

Alunos(as) & Candidatos(as)

video

Na próxima eleição, precisará haver mais organização entre os alunos. Houve muita desordem por parte de alguns estudantes. A maioria soube se comportar.

As perguntas do corpo discente foram escritas, e a comissão eleitoral lia antes para permitir ou proibir. Penso que as perguntas poderiam ser elaboradas em sala com orientação dos professores. Em outras palavras, organização prévia.

Deve-se priorizar a qualidade de ensino por meio de perguntas.

CandidatAS(os) & AlunAS(os)

video

Nessa filmagem, o início do encontro entre candidatos e alunos. Auditório cheio, e uma minoria de alunos bagunçou. Ainda sim, pulsaram as virtudes da nossa jovem democracia.

Coloque um fone e ouça as vozes da democracia.

terça-feira, novembro 20, 2007

Eleição Escolar Exposta

Filmar uma eleição escolar. Em casa, ouvir o que cada candidato falou. Não gravei mais, porque a energia do celular terminou bem antes.

Filmei o começo do debate entre os candidatos a gestor da escola Heloísa Mourão Marques. De forma muito educada, o encontro não se submeteu a agressões verbais, mas a questionamentos e a um fenômeno social interessante: fofoca.

Alunos não votarão em certos candidatos, porque espalharam que serei coordenador de ensino de um dos dois. No debate de hoje, neguei tamanha mentira. Sou candidato a professor - e professor que deve ser submetido a uma avaliação séria na unidade de ensino.

Aluno deve avaliar professor por questionário.

Surpreendeu-me a fala de uma candidata. Ela afirmou que não chegará às 7 horas para trabalhar, porque, por ficar na escola até as 22h30, não tem condições de estar cedo na escola. Não filmei essa parte, porque a bateria do celular terminou.

Muitos funcionários, segundo informações, fecharam com a professora-candidata Lúcia, mas ela tem poucos votos de professores e de alunos.

O professor Aires divide com a professora Osmarina os voto dos alunos, sendo que o professor Gleidson supera os dois nesse setor. A educadora Osmarina perde voto do pessoal de apoio.

A professora Rosângela, por meio de uma prévia, obteve menos voto.

Abaixo, a filmagem amadora de um debate a que muitos assistirão em suas casas, em uma lan house. A isso, chamo TRANSPARÊNCIA. Falar e assumir o que fala diante de uma filmadora de celular. Coloque o fone e ouça.

Que tempos!!!

video

Alunos, gravem! (2)

Reuniões na escola devem ser filmadas. Conselho Escolar, filmado. Aulas, filmadas. Expor todos. Tudo. A verdade não se esconde.

video

Alunos, gravem! (1)

Sala filmada. Aulas filmadas. Não temos o que esconder. Não há lei municipal que regulamente isso. Filmar a escola pública. A palavra registrada para todos. Filmar o que é dito. Filmar para revelar. Filmar.

Na escola Heloísa Mourão Marques, os candidatos se apresentam e expõem suas idéias.

video

segunda-feira, novembro 19, 2007

Ranking do Poder Legislativo Estadual

Assembléias das capitais que gastam menos por contribuinte:

1. São Paulo SP R$ 68,38

2. Salvador BA R$ 70,20

3. Belém R$ 71,27

4. Fortaleza R$ 80,18

5. São Luís R$ 86,21

6. João Pessoa R$ 86,61

7. Curitiba R$ 93,17

8. Recife R$ 93,45

9. Manaus R$ 95,91

10. Teresina R$ 96,63

11. Belo Horizonte R$ 96,65

12. Distrito Federal R$ 99,14

13. Maceió R$ 104,43

14. Porto Alegre R$ 106,44

15. Rio de Janeiro R$ 109,23

16. Cuiabá R$ 114,18

17. Natal R$ 119,26

18. Vitória R$ 120,92

19. Goiânia R$ 121,55

20. Campo Grande R$ 130,39

21. Aracaju R$ 132,41

22. Porto Velho R$ 132,96

23. Palmas R$ 151,76

24. Florianópolis R$ 155,31

25. Macapá R$ 174,48

26. Rio Branco R$ 176,50

27. Boa Vista R$ 224,70

Eleição escolar

O próximo gestor ou gestora da escola Heloísa Mourão Marques precisará tomar medidas urgentes quanto aos recursos financeiros da escola. Essa unidade de ensino encontra-se inadimplente, ou seja, deram calote e não resolveram o problema.

Sem dinheiro, a escola não tem papel sequer para imprimir provas. Alguns professores fazem por conta própria. "Eu gasto dinheiro para entregar as provas aos alunos", declarou uma professora, que pediu para LÍNGUA não publicar seu nome.

Resolvido esse problema, a escola, segundo alguns candidatos, deverá criar seu site para colocar seu orçamento e suas despesas. "Em plena época tecnológica, nossa escola não tem um site para dar satisfação à sociedade", reclama o professor Gleidson, um dos candidatos.

Mas ele não está sozinho. Outro candidato, o professor Aires, afirmou que, uma vez diretor, criará um site da escola. "O professor, se quiser, colocará seu blog hospedado no site da escola para quem quiser acessar."

Imagine uma reunião de professores filmada para ser exposta em um blog. "Não tenho nada contra a transparência, contra a democracia, a escola precisa ser vista por meio da internete", sentencia a professora Osmarina.

Elas têm 15 anos

.+.+.+.+.+ESSA AI É A ESCOLA Q NÓS ESTUDAMOS ONDE TEM OS INQUISIDORES, OS CORDENADORES DISCIPLINAR Q Ñ PODE NOS VER DE SHORTINHO Q VEM CORRENDO P/ NOS VER D PERTO TENHO CERTEZA Q DEVE ENTRAR NO NOSSO ORKUT E VÊ AS NOSSAS FTS E VEM CONFERIR SE SOMOS TUDO ISSO, ELES ESTAO NOS DESCRIMINANDO POR CAUSA DO NOSSO ORKUT E DO NOSSO FLOG O PROBLEMA Ñ É NOSSO UNIFORME PQ TODO MUNDO USA IGUAL A GENTE ATE A GENTE DE CALÇA COMPRIDA ELES NOS PERSEGUE ESTAMOS PRECISANDO DA AJUDA DOS NOSSOS AMIGOS DA NET, P/ Q TODOS VCS POSSAM DIVULGAR OQ ESTÁ ACONTECENDO CONOSCO, QUERIAMOS Q VC PEGASSEM A FOTOGRAFIA E OQ NÓS ESCREVEMOS E COLOCASSE NO ORKUT DE VCS P/ Q TODOS FIQUEM SABENDO Q ESTAMOS SENDO PERSEGUIDAS, HUMILHADAS E MALTRATADAS Q Ñ TEM UM DIA SE QUER Q AS CACHORRRAS TENHA Q SAIR DA SALA ESCURRAÇADA PELOS COORDENADORES "CARLAO", "LUÍS MONITOR" E "EDUARDO" UMA ESCOLA Q SE DIZ CATOLICA TRATANDO O SER HUMANO DESSA FORMA SE VCS NOS AMAM AGORA TA NA HORA D VCS DEMONSTRAREM O AMOR Q SENTEM PELAS CACHORRRAS NOS AJUDE POR FAVOR+.+.+.+

_____________________________

O que dizer de duas garotas de 15 anos que se denominam cachorras? Elas são irmãs e, no orkut delas, todos podem apreciar imagens sensuais de menores de idade que desejam ser, repito, cachorras.

Em uma foto, estão com a mãe.

Sobre isso, a escola é inocente.





Ronda Gramatical

Caso seja detectado algum erro no Cartão de Informações, por equívoco da COPEVE, o candidato deverá solicitar, de imediato, junto à COPEVE a correção do mesmo, logo após sua impressão, ou até 48 horas após o término do período de acesso (30/11/2007).

1. O aluno não deverá solicitar "junto à", porque significa "perto de". Ele solicitará na Copeve.

____________________

De um bloguista (2)

Se configurar verdade, não será a primeira vez que tentaram, às escuras, tramar contra um professor da escola. Fazem dessa forma porque sabem que, se vier à tona antes de conseguirem seus objetivos, muitos criticarão e se oporão a essa forma ilegal de agir.

Não pedem opinião sobre sua forma de agir porque sabem do erro que estão cometendo, mas seu "superpoder" lhes cega. Mas, boas notícias: os alunos vêem como a escola jaz abandonada e não desejam que ela continue assim. Não por mais quatro anos.

______________________

Bloguista, a fonte é muito segura, confiável. Eu só publiquei neste blog depois que outra fonte confirmou. Sendo assim, com duas fontes, publiquei a forma como uma coordenadora de ensino age em uma instituição de ensino contra um professor.

Na escola, muitos professores não se expõem por causa do medo de arbitrariedades. Ora, vivo em país livre e minha crítica, sendo ética, sendo a partir de fatos, sendo a partir de fontes, não pode se calar, porque direção de escola pública é tão importante quanto Assembléia Legislativa.

Péssimos diretores precisam ser expostos. Ótimos diretores também.

A postura da coordenadora Gisélia é lamentável. Se não me deseja na escola, pelo menos que procurasse caminhos justos, trâmites legais.

De um bloguista (1)

Os recursos da Web 2.0 (blogs, orkut, youtube, entre outros) assustam aqueles que imaginam que o computador é uma televisão mais bonitinha. Alguns de nossos alunos estão anos-luz a nossa frente e é relaxamento não se interar a esses novos meios de comunicação e liberdade de expressão.

Meios que, inclusive, permitem uma tal transparência que amedronta os que insistem em viver na idade da pedra.A ssisti ao vídeo gravado pelo celular do aluno. Fiquei impressionado com a atitude de alguém que nunca assistiu a uma de tuas aulas, nem pediu que alguém assistisse, criticasse tua forma de lecionar e pedisse àqueles alunos que gostam de tua aula se retirassem.
Até onde sei, a grande maioria saiu do recinto. Restaram poucos. Lembrei da lei complementar nº 39/93, que em seu artigo 167 diz que "ao servidor é proibido promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição". Que se cumpra a lei.

Democracia não é só eleição

De ALBA ZALUAR

BASTA TER ELEIÇÕES para um país ser considerado democrático? Não, dizem os cientistas políticos que comparam regimes pela história afora. Adam Przeworski argumenta que só é democrática a eleição em que há contestação porque há mais de um partido competindo pelo poder.

E, claro, alternância de partidos no poder. Outro modo de comparar países é a maturidade de seu regime político. A idéia é que um país acumula experiências de resolução democrática de conflitos pelos anos ininterruptos de democracia. Isto quer dizer respeito às regras estabelecidas no jogo democrático, sem mudanças de última hora para servir aos interesses dos poderosos.

A idade da Constituição torna-se importante porque revela o respeito que os competidores têm pelas regras do jogo ali estabelecidas. O país que muda as regras ao sabor dos interesses eventuais e momentâneos, de quem pode manipular o Legislativo com o seu poder, não pode ser considerado um país de democracia consolidada.

Por fim, como nos jogos esportivos em que todos os participantes, inclusive o público torcedor, não optam por vencer a qualquer custo, o que importa é a confiança nas instituições envolvidas e a cooperação entre os parceiros.

Quando não confiam nos parceiros, as pessoas procuram tirar o máximo de proveito pessoal sem se importar com a legitimidade dos seus atos, nem com os efeitos perversos deles sobre os demais. Vale tudo: oportunismo, blefes, doping, clientelismo, manipulação, o que pode chegar às raias de uma tirania mal disfarçada quando é comandada por um projeto político secreto e opaco.

E é principalmente o tempo (constitucional, legal) que conta para transformar os indivíduos em parceiros confiantes e cooperativos. Porque é assim que se aprende como todos ganham quando respeitam as regras e agem para fazer prevalecer a ética da confiança e da cooperação. Impossível pensar em combate à desigualdade sem esta ética. Só as sociedades organizadas para obter o bem comum, mesmo que a longo prazo, livram-se dos predadores que só agem em busca de resultados imediatos.

Só nas sociedades em que o jogo parlamentar é limpo, transparente e previsível, a crença dos eleitores em seus representantes nutre a confiança nas instituições do país e suas leis. Só assim deixa de ser imprescindível a coerção constante da polícia legitimamente armada, porque bastam os limites internos que cada um carrega dentro de si. Só assim, sem o uso excessivo da força nem a manipulação do poder, evitam-se as violações e a autofágica prevalência dos interesses individuais dos predadores habituais.

ALBA ZALUAR escreve às segundas-feiras nesta coluna.

sábado, novembro 17, 2007

Duas questões de prova

Questão 1

1.2 Vírgula - Retirado do portal http://educaterra.terra.com.br/literatura/index.htm. (0,8)

Nas últimas décadas do século 18, o Romantismo já está mais ou menos anunciado pelas obras do filósofo Rousseau, especialmente por sua teoria do "bom selvagem", e pelo movimento Sturm und Drang (Tempestade e Ímpeto), constituído ( ) nos anos de 1770 ( ) por jovens alemães que valorizam o folclórico, o nacional ( ) e o popular em oposição ( ) ao universalismo clássico. Também a publicação de Os cantos de Ossian, pelo inglês Macpherson, em 1760, torna-se uma referência fundamental para os futuros românticos.

Comentário
Nas minhas provas, o aluno sabe quanto a questão vale e, às vezes, ela se relaciona a outro conteúdo, nesse caso, à literatura. Aqui, ele colocará as vírgulas quando elas forem necessárias. Repare que ele lerá o texto para, aí então, colocá-las. Não são frases soltas.

Questão 2

2.2 Como um dos maiores pensadores do século 20, Theodor W. Adorno escreveu O Iluminismo como mistificação das massas para analisar a indústria cultural. Esse alemão é um crítico profundo da razão iluminista, a mesma que gerou o “desencanto do mundo” por meio da industrialização. Em seu texto intitulado acima, diz: “(...). O particular, ao emancipar-se, tornara-se rebelde, e se erigira, desde o Romantismo até o Expressionismo, como expressão autônoma, como revolta contra a organização (...).” Ora, o simbolismo também representa uma arte contra a organização industrial, entendo como organização industrial a objetividade. Em outro livro seu, Lírica e sociedade, Adorno declara que o que ganha voz na lírica é um eu que se determina e se exprime como oposto à coletividade, à objetividade (...). Após essas observações de Adorno, escreva sobre a oposição da arte simbolista à organização industrial.

Comentário

Daqui a dois anos, o aluno poderá estar em uma universidade e, no ensino médio, não colocamos autores que eles poderão estudar, no caso, Adorno. Aqui, nessa questão, o aluno, mais uma vez, deve ler e entender, mas, caso não entenda, o professor deve explicar.

Fica claro que a questão coloca o conflito entre o processo industrial e o simbolismo. A aluno deverá desenvolver a idéia-conceito do simbolismo para estabelecer esse conflito. Ele pode tirar dúvidas em sala, porque, para mim, o que importa é que ele organize seu texto de forma clara, consultando o dicionário antes para evitar erros ortográfico.

Em minhas provas, eu exijo muito que ele desenvolva o raciocínio dissertativo a partir de conceitos, nesse caso, a oposição entre objetividade e subjetividade.

A maldade humana






















Dar visibilidade à escola pública

Nesta semana, das eleições mais importantes de uma nação, as das escolas públicas do Acre não receberão destaques nos jornais. Carros que batem em postes e drogas apreendidas são notícias todo dia, mas a educação pública não serve como pauta para as redações.

Pela primeira vez no Acre, a escola pública evidenciou-se por meio de um blog. Tive a coragem de expor não os erros de uma unidade de ensino, mas os limites de uma gestão. Tenho a certeza de que não usei adjetivos para desqualificar a gestora, mas, a partir de fontes e de falas ocultas na escola, expus o que não se fala às claras.

Evidenciei fatos, por exemplo, acordos em reuniões entre gestão e corpo docente que não se transformaram em qualidade de ensino.

Penso que gestor de escola é tão importante quanto Edvaldo Magalhães ou Naluh Gouveia, mas aquele não tem importância para a imprensa. A escola é uma instituição que vive seus problemas internos à sombra. Não pode ser assim.

Câmeras

Defendo a idéia de reuniões entre gestão e professores gravadas para serem expostas por meio de um site escolar. Imagine um pai de aluno acessando em uma lan house imagem de uma reunião do Conselho Escolar. Imagine um aluno que grava as aulas de um professor para serem colocadas em um orkut, em um blog.

Podem gravar as minhas.

Um aluno gravou uma reunião em que alguém fala muito mal de mim. Se eu quisesse, colocaria em meu blog a gravação do aluno, mostrando uma pessoa que tentou colocar turmas contra mim.

Contra a lei?

Não há lei municipal que regulamente isso.

Defendo a total visibilidade das ações de servidores públicos em uma escola, porque, quando se fala a verdade, quando o professor só tem uma cara e sabe o que fala, ele não tem medo de se expor às câmeras.

Além de ata, o Conselho Escolar precisa registrar suas reuniões e expô-las em um blog hospedado em um site escolar.

Sorria, você está sendo filmado!