quarta-feira, julho 18, 2007

Conceitos do Clássico



Na Literatura do ensino médio, condenada pelo historicismo, professores repetem há anos as características do Arcadismo e do Parnasianismo.

Relacionam essas duas estéticas ao pensamento clássico.

No entanto, como consideram seus alunos "burros", são incapazes de expor trechos de obras clássicas. Nunca as leram.

Pois bem, neste blog, retirarei um trecho do livro A República, de Platão, para destacar termos clássicos.

Segundo críticos, a tradução da Fundação Calouste Gulbenkian é ótima. Eu a tenho. Abro-a na página 125, Livro III.

"(...). Mas, para nós, ficaríamos com um poeta e um narrador de histórias mais austero e menos aprazível, tendo em conta a sua utilidade, a fim de que ele imite para nós a fala do homem de bem e se exprima segundo aqueles modelos que de início regulamos, quando tentávamos educar os militares."

Termos em azul aqui, nesse texto, entrecruzam-se, funilando em um só: militares. Platão foi o primeiro a perseguir a arte como imaginação, como prazer e, para tanto, os termos estão aqui: austero, utilidade e regulamos.

O Arcadismo e o Parnasianismo relacionam-se ao mundo clássico, isto é, aos termos de Platão. Árcade, por exemplo, é filho de Zeus e sua missão é civilizar o mundo do deus Pan, Peloponeso, parte da Grécia.

Ora, civilização implica Razão - conceito do Classicismo -, a mesma Razão que regula, que é austera. A Natureza no Arcadismo, diferente no Romantismo, mantém-se equilibrada, porque a Razão a disciplinou.

Não me reduzo ao campo, às árvores, ao céu. Refiro-me, também, à Natureza do Corpo. Os amantes árcades não vivem a Paixão. São frios. A Carne não delira, isto é, permanece na retidão, no decoro, na medida, na austeridade de que falou Platão em seu livro A República.

Por que a Razão do Arcadismo regula o Corpo, o Desejo? É essa pergunta que o professor deve fazer para que saia do lugar-comum e do historicismo anacrônico.

Um comentário:

Merlin disse...

Primeiro, parabéns pelo blog. Segundo, gostaria de comentar a enquete. Acho que falta uma opção "o aluno é responsável", porque há alunos que não têm a menor seriedade.