quarta-feira, julho 23, 2014

Acre, até quando...

Infelizmente, após 22 anos, inicio o processo de separação definitiva entre mim e a educação acriana.

Não queria, mas não tenho outra saída, porque tenho de ficar no Rio de Janeiro para cuidar de meus pais e de meu irmão.

Um dia, quem sabe, retornarei com minha esposa.

2 comentários:

washington lima disse...

Saiu do Acre mas não das mentes daqueles que te vêem como um grande Homem e se inspiram em você.
Grades felicidades a você e sua esposa e saúde longa a seus pais.
Aguardo noticias não de um professor, mas sim de um amigo e um grande Homem no qual me espelho.
e levo sempre comigo uma frase que escutei apenas uma vez de sua boca: Trabalhamos para mudar o mundo, o dinheiro é consequência disso. Abraços Aldo!

Infanto Sincero disse...

Meu querido, vc me ampliou com suas palavras. Soubemos aproveitar o tempo, essa estrada larga que, em certo momento da vida, possibilitou nosso encontro. Agora, sou em vc memória, assim como em mim é memória.

Para isso, meu amigo, existimos: para sermos uma boa memória.

Um abraço fraterno em teu destino.