sexta-feira, novembro 21, 2008

Enem Enem Enem

O governo do Estado do Acre não pode negar que a rede pública sempre fica, em relação à rede privada, com as menores notas. Sempre. Pessoas que preferem as salas da Secretaria de Educação às salas de aula precisam dar uma resposta. Não darão.

Conversando com um professor de uma escola particular, ele me disse que leciona para 11 turmas e, por mês, recebe menos que um professor da rede pública. Por ser escola privada, aluno de classe média é mais inteligente, tem mais recursos em casa? Não acredito nas respostas.

Os anos passam, e a escola pública acreana perde sempre para a escola privada. Se derem respostas a esse fato, acredite, serão desculpas.

4 comentários:

Jornalismo disse...

A culpa é SUA. Isso mesmo, SUA! Não é você que está na escola "dando aula", senhor Aldo Nascimento? O senhor que se acha o melhor e pensa que o mundo gira ao redor da sua falácia vazia? Pena que SEE nunca lhe chamou para fazer parte do seu célebre seleto de intelectuais, não é mesmo?! Se bem que me lembro de você várias vezes almejando uma cadeira na refrigerada sala da Secretaria. Sei que nela, na sala fria, você faria menos do que faz hoje. Não que os que estão lá nada façam, a questão é que se o que você faz hoje é tão pouco, distante da sala de aula - lugar transformador - sua contribuição seria tão menor do que o que já é hoje e é por isso que digo, repito, a culpa é sua. Se acha o contrário, procure a SEE e ajude os que preferem as salas com ar condicionado. Eles precisam de você! Ajude-os a não dar desculpas. Ajude-os a mudar a situação que você contribui para piorar, afinal você também recebe mais que os profissionais das escolas privadas e, mesmo assim, continua na roda viva do fracasso. Vá lá! Ajude...

Jornalismo disse...

A culpa é SUA. Isso mesmo, SUA! Não é você que está escola "dando aula", Senhor Aldo Nascimento? O Senhor que se acha o melhor e pensa que o mundo gira ao redor da sua falácia vazia? Pena que SEE nunca lhe chamou para fazer parte do seu célebre seleto de intelectuais, não é mesmo?! Se bem que me lembro de você várias vezes almejando uma cadeira na refrigerada sala da Secretaria. Sei que nela, na sala fria, voce faria menos do que faz hoje. Não que os que estão lá nada façam, a questão é que se o que você faz hoje é tão pouco, distante da sala de aula - lugar transformador - sua contribuição seria tão menor do que o que já é hoje e é por isso que digo, repito, a culpa é sua. Se acha o contrário, procure a SEE e ajude os que preferem as salas com ar condicionado. Eles precisam de você! Ajude-os a não dar desculpas. Ajude-os a mudar a situação que você contribui para piorar, afinal você também recebe mais que os profissionais das escolas privadas e, mesmo assim, continua na roda viva do fracasso. Vá lá! Ajude...

Aldo Nascimento disse...

Há anos eu defendo que professor deve ser avaliado por alunos como forma de reconhecer aqueles que se dedicam a melhorar o ensino público, mas uma medida tão simples é recusada. Com essa avaliação, ficaria comprovado quem leciona a sério. Identifique-se, tenha coragem de mostrar tua face como eu exponho a minha.

Jornalismo disse...

O que o "professor" Aldo comentou é verdade. O péssimo desempenho da escola pública é, em grande parte, culpa do governo sim, que não está nem aí pra qualidade do ensino, mas só pensa em números. Faz que ensina, distribui diplomas para reduzir índice de analfabetismo e aumentar a taxa de escolaridade nos levantamentos que aparecem em nível nacional. O problema chegou ao ensino superior também. É um absurdo que para ter um diploma de nível superior basta passar num vestibular. Tem gente que não frequenta aulas, que não absorve nenhum conteúdo e que vai passando de semestre em semestre.
E existe uma situação, ainda, que campeia todos os níveis do ensino, principalmente da rede pública: professores sem vocação e/ou sem compromisso e/ou sem preparo nenhum para o magistério que querem apenas cumprir horário e receber o salário no fim do mês. Aí temos aquele velho bordão do "Pacto da mediocridade, onde o professor faz que ensina e o aluno faz que aprende"... ISSO É UMA VERGONHA! (Plagiando o ridículo Bóris Casoy).

P.S.: Ah... segundo informações de gente do Centro de Letras, o professor Aldo já foi rejeitado por uma (ou mais) turma(s) por não conseguir ser entendido nem repassar conteúdo algum.