sábado, abril 03, 2010

A revolução petista faltou ao encontro

Muito acima de partidos e de militância, existem ideias que só desejam ser livres, porque não suportam as grades da obediência inútil ou as cadeias superlotadas da adulação. Como coro de anjos, jornalistas colocam a educação pública acriana nos céus. Mas anjos são mentiras.

Nesses 12 anos de Partido dos Trabalhadores no Acre, o PT não revolucionou a educação pública embora políticos da Frente Popular acreditem nisso. Mas é muito fácil crer nesse mito quando político não leciona em salas sem ares-condicionados e quando muito menos recebe salário de professor.

Tanto não revolucionou que seus filhos não estudam em escola pública. O modo petista de governar, nesses 12 anos, não deslocou os filhos da classe média ou dos políticos às salas do ensino público. Deputados e vereadores trabalham pouco e recebem muito para colocar suas crianças em ótimas escolas particulares daqui e fora daqui.

Neste ano, a inteligência humana se apequenará por causa da campanha política. Trata-se de um momento em que a vida perde sentido porque as boas ideias ficam suspensas, por exemplo, as boas ideias sobre educação pública.

E o PT acriano contribui para isso, deixando de pensar nisto:

1) Após 12 anos, o partido não colocou as escolas estaduais na rede de computadores, fazendo com que o professor lance nota como há mais de 50 anos;

2) O atual modelo de democracia escolar não escolhe o que é melhor para o erário, mas legitima conveniências de grupos que visam ao corporativismo e não ao bem público;

3) O tempo do aluno na escola deve ser integral;

4) Se o PT quer qualidade de ensino, deve pensar também que o professor com um contrato deve ter duas turmas, sendo que em cada turma deve haver no máximo 20 alunos;

5) Se educação é prioridade, um professor não pode iniciar sua carreira no Estado com menos de R$ 1.500,00 por mês, lecionando para 5 turmas;

6) É preciso criar na rede pública de ensino os conselhos de disciplina e de turma;

7) O PT precisa instituir nas escolas uma forma de os melhores alunos avaliarem seus professores;

8) Os cursos de aperfeiçoamento para professor são infecundos, impróprios, ineficientes, não passando de um gasto público desnecessário;

9) No lugar desses cursos, a escola de magistério, ideia criada pelo PSDB de São Paulo.

Narciso, olhando para sua própria imagem, diz que é belo. O PT é perfeito. A educação pública acriana é revolucionária.

Este blogue é que não sabe o que escreve sobre educação embora seu autor lecione na rede pública estadual há 12 anos.

Um comentário:

Gleyson disse...

Além disso, outras questões para as quais o PT fez-se de cego e surdo em relação à educação, que é necessário:
* Elaborar e fazer circular material didáico regionalizado;
* Promover nas escolas o "tempo do diálogo", pois a falta disso tem-nos feito emburrecer a cada dia;
* Premiar os bons alunos, não de forma esporádico, mas como programa permanente e contínuar;
* Estabelecer para a escolha dos coordenadores das escolas não o critério político ou do apadrinhamento mas sim o da inteligência e competência.