domingo, fevereiro 24, 2013

Aos meus colegas de Língua Portuguesa

Se hoje ainda permanece a luta política em mim, eu a faço na escola pública. Na Heloísa Mourão Pública, em Rio Branco, Acre, eu sempre lutei; mais errado ou menos, mais certo ou menos certo, jamais fui indiferente à escola, meu espaço político sem partidos.

Discordei muito de colegas da profissão com uma forma nenhum pouco franciscana, mas sempre sincera. Nunca tramei algo para receber benefícios depois.

A escola HMM não obteve bom resultado em 2011 segundo o Enem, ficando, entre 51 escolas acrianas, na 32ª posição.

No entanto, meus colegas de Língua Portuguesa não ficaram no 32º lugar. Entre as 51 escolas que se submeteram ao Enem em 2011, Língua Portuguesa ficou na 10ª posição; e Redação, na 11ª.

Mas, no Acre, o professor que leciona mal recebe o mesmo salário de quem leciona bem.

Em 2012, salas com mais alunos (45 alunos) e muito abafadas, e o governo, sem pagar bem para quem trabalha melhor, exige dos professores, mas ninguém no Acre exige do governo qualidade de ensino.

Por isso e por outras, colegas de profissão deixarão o magistério. No Rio de Janeiro, falta professor. No Acre, há carência em certas disciplinas.

O estado, dessa forma, faz a sua própria greve.
         

3 comentários:

Apenas Um Pouco de Alma. disse...

Que saudades das suas aulas...

Linda Messias disse...

Que saudades das suas aulas... :(

Infanto Sincero disse...

Obrigado pela lembrança. Muita saudade do Acre, de meus alunos.