domingo, março 31, 2013

O Acre que a oposição não vê

Para mim, a questão não é atacar o Partido dos Trabalhadores do Acre, mas criticar [do grego krinein, que significa julgar] o dinheiro público aplicado por grupos partidários, ou seja, julgar, porque essa grana também é minha. Tua.

Hoje, levei à minha esposa a uma UPA do Rio de Janeiro. Um contêiner. Uma demanda muito acima da oferta, a ponto de o acompanhante (eu) ser obrigado a permanecer fora do contêiner.

No Acre, o sistema de saúde é melhor do que esta merda carioca. Sinto-me humano em uma UPA do Acre. Aqui, na Cidade Maravilhosa, perto do Cristo Redentor, sinto-me um objeto dentro de um contêiner.

Meu sogro, que sempre precisou do serviço público acriano, só deixou de falar mal da saúde depois que a Frente Popular transformou a Fundhacre.

O dinheiro público melhorou a saúde pública acriana. Se algum acriano pensa que não, eu o convido a fazer um turnê hospitalar na Cidade do Rio de Janeiro.  


2 comentários:

Anônimo disse...

Volta para o Acre, ora...

Aldo Nascimento disse...

Voltarei. Gosto de viver no Acre. Gosto do Norte.